Prêmios, Projetos e Destaques Acadêmicos

Imagem de uma das entradas da PUC-RIO pela Rua Marquês de São Vicebte
Voltar
 


Seção: Prêmios  

China à vista


Alunas de Direito e Mídia Digital, selecionadas pelo Top China Santander Universidades, embarcam em julho para conhecer a cultura chinesa e suas relações com o Brasil

 

As alunas Carolina Silveira, do sétimo período de Direito – Direito Empresarial, e Clarissa Butelli, do quarto período de Design - Mídia Digital, foram selecionadas para representar a PUC na 7ª edição do Programa Top China Santander Universidades, que tem como objetivo incentivar a cooperação bilateral para debate de temas de interesse global entre o Brasil e a China, contribuindo com a internacionalização da atividade acadêmica, principalmente com um dos países mais emergentes do mundo.

Junto a estudantes de graduação e professores de 24 universidades brasileiras, Carolina e Clarissa terão a chance de aprender um pouco mais da cultura chinesa, com aulas ministradas em inglês, em três semanas de curso.

Para elas, muito mais do que a expansão da visão de mundo, a experiência servirá para o enriquecimento pessoal e para, a partir das diferenças, entender melhor o país em que vivem.

Assessoria de Comunicação/ Vice-Reitoria Acadêmica: Qual foi a motivação para se inscreverem no programa?

Clarissa Butelli - Eu tenho, há bastante tempo, vontade de fazer um projeto que aproxime diferentes culturas. No semestre passado, desenvolvi, com um grupo de outros alunos, e sob orientação dos professores Joao Bonelli e Eduardo Pucu, um projeto para um centro de cultura eslava, e vimos como é uma tarefa difícil conhecer outras culturas estando distante dos países de origem - como é fácil confiarmos em ideias prontas, em uma visão superficial, baseada no que é "estranho" ou diferente com relação ao Brasil.

Os BRICS são países interessantes para nós brasileiros porque temos problemas semelhantes - populacionais, questões de renda, violência, industrialização e poluição. Mas são culturas tão diferentes que podemos nem conhecer como estes países pensam e como propõem
soluções para questões que também são nossas.

Minha ideia é continuar a pesquisa sobre esses países durante o curso e descobrir que projetos são interessantes desenvolver para facilitar o nosso conhecimento a essas culturas.

Carolina Silveira - Sempre tive curiosidade de saber mais a respeito da cultura chinesa, desde seus aspectos milenares, completos e diversificados, marcados pelas dinastias e seus imperadores, à república popular comunista e ao grande desenvolvimento econômico; me interessei muito pelo tema, não só pela curiosidade mencionada, mas também por trabalhar em operações envolvendo negócios com empresas chinesas, motivo pelo qual tenho cada vez mais interesse na compreensão da relação China-Brasil. 

 
 Clarissa e Carolina pelo mundo: próxima parada, China - crédito: arquivos pessoais</STRONG><STRONG> 
 Clarissa e Carolina pelo mundo: próxima parada, China - crédito: arquivos pessoais 

ASCOM/VRAC - Como se sentiram ao serem selecionadas?

C.B. - Foi uma ótima notícia. Senti como se fosse um voto de confiança da PUC
nessa investigação cultural, e um voto de confiança no Design também. Também é uma responsabilidade grande a de representar a PUC, tanto frente aos alunos de outras universidades brasileiras como para as universidades chinesas em que vamos estudar. Acho que vai ser um intercâmbio bem inspirador.

C.S. - Muita felicidade. Vejo a ida à China como uma grande oportunidade e senti muita animação ao saber que poderei ver bem de perto o local, as universidades, as pessoas, seus costumes e todo um ambiente completamente diverso do que já pude ver. Muito empolgada também com a chance de não só conhecer, mas também estudar a cultura, política e economia chinesa, bem como sua relação com o Brasil. 

 

ASCOM/VRAC - O que pretendem obter de benefícios para a carreira participando do programa?


C.B. - Muita coisa. Acho que a expansão da visão de mundo vai ser proporcional ao choque cultural que vamos ter lá. E acho que qualquer tipo de experiência internacional tem o benefício de fazer a gente repensar a nossa própria cultura. Acho que, mais do que conhecer sobre a China, todos nós vamos voltar com uma visão diferente sobre o Brasil.

C.S. - Acredito que será fundamental para que eu me torne uma profissional mais atuante e engajada com o parâmetro socioeconômico sob o qual estou inserida. Pretendo tirar o máximo proveito da experiência, pois certamente contribuirá significativamente para a excelência na minha formação acadêmica e profissional, para expandir meu conhecimento, descobrir o novo, o outro, o diferente, aprimorar e enriquecer meus estudos na PUC, bem como ser mais competente e apta ao mercado de trabalho.

 

Por Renata Ratton

Assessoria de Comunicação

Vice-Reitoria Acadêmica

Publicada em: 22/05/2015

 
Imprimir esta página
 
Busca:
Voltar

Powered by Publique!