Prêmios, Projetos e Destaques Acadêmicos

Imagem de uma das entradas da PUC-RIO pela Rua Marquês de São Vicebte
Voltar
 


Seção: Prêmios  

Pratas da casa


Alunos conquistam medalhas na Olímpiada Universitária Internacional de Matemática

 

 

No dia 2 de agosto último, o Departamento de Matemática ficou ainda mais pródigo em medalhas conquistadas na International Mathematics Competition for University Students 2015 (IMC), realizada em Blagoevgrad, na Bulgária. São 15, após os alunos Igor Albuquerque Araújo e Rafael Miyazaki, ambos do quarto período, acrescentarem duas medalhas de prata.

Os alunos ingressaram na Universidade através da prova Desafios (http://www.puc-rio.br/desafios), tradicional exame realizado pelo Centro Técnico Científico - do qual faz parte a Matemática - com o objetivo de descobrir talentos e oferecer aos medalhistas de ouro e prata a oportunidade de estudar de graça na PUC-Rio.

Rafael é também mestrando do Instituto Nacional de Matemática Aplica (Inpa). Para ele, é um bis da medalha de prata conquistada na competição em 2014. Por sinal, o paulista de 20 anos possui larga experiência em competições do gênero, acumulando um total de 47 medalhas, incluindo premiações em olimpíadas de Física, Astronomia, Linguística, Informática, Química, entre outras. Quando perguntado sobre a influência do mestrado sobre a IMC, afirma que não vê muita relação, pois a questão da olimpíada é mais uma disciplina para estudar. "E isso eu já tenho desde o ensino médio", ressalta.

Rafael concorreu duas vezes da Internacional Mathematical Olympiad (IMO), conquistando medalha de bronze em 2012 e prata em 2013. Também participa da Olimpíada Brasileira de Matemática desde a quinta série e conquistou medalhas em todos os anos. No ensino médio, foram três de ouro e uma de bronze. Na Ibero-americana, foi ouro em 2012 e prata em 2013.

Para Igor, que teve sua primeira participação na IMC, faltaram apenas três pontos para atingir a nota de corte da medalha de ouro. Com 19 anos, participou de cerca de dez olimpíadas de matemática, física e química, desde a 5ª série.

- Foi um momento único, a primeira vez que participei de uma olimpíada internacional e a primeira vez que saí do Brasil, então foi uma experiência interessante conhecer um novo país. Acho que aprendi muito com isso e além de fazer o que gostamos, matemática, um evento como a IMC permite uma interação com culturas do mundo inteiro. A medalha de prata foi, de certa forma, inesperada para mim. Voltei da Bulgária com sensação de dever cumprido e a vontade de participar mais vezes, conta, entusiasmado.

A IMC reuniu mais de 300 competidores universitários vindos de todo o mundo. A elite da Matemática teve pela frente duas provas, cada uma com cinco questões de álgebra, geometria e análise, cujas pontuações somadas determinaram os vencedores. Os estudantes premiados foram divididos pelas categorias FirstPrize/Medalha de Ouro, SecondPrize/Medalha de Prata, ThirdPrize/Medalha de Bronze e HonorableMention/Menção Honrosa.

Rafael e Igor também são bolsistas Arquimedes, uma iniciativa do Departamento de Matemática, que, desde 2009, capta, junto à iniciativa privada, doações que financiam bolsas de R$ 500,00 (quinhentos reais) mensais para os melhores alunos do seu bacharelado. Rafael, no entanto, por também ser bolsista no IMPA, não recebe o benefício, mas tem em seu currículo o título de Bolsista Arquimedes por mérito acadêmico.

Sobre planos futuros, Igor diz ainda não saber muito bem como responder. "As oportunidades são bem diversificadas, mas o que mais penso é em continuar estudando para olimpíadas enquanto termino o bacharelado e depois fazer mestrado, embora também exista a possibilidade de não seguir a área acadêmica".

 

 

Por Renata Ratton

Assessoria de Comunicação

Vice-Reitoria Acadêmica

 

Publicada em: 17/08/2015

 
Imprimir esta página
 
Busca:
Voltar

Powered by Publique!