Prêmios, Projetos e Destaques Acadêmicos

Imagem de uma das entradas da PUC-RIO pela Rua Marquês de São Vicebte
Voltar
 


Seção: Projetos  

Auxílio Básico à Pesquisa, da Faperj, aprova sete projetos da PUC-Rio


Sete projetos aprovados da Universidade foram aprovados no programa Auxílio Básico à Pesquisa (APQ 1), edição 2015/02. Trata-se de um dos mais procurados dentre os programas da Faperj, pois se propõe a financiar o desenvolvimento de projetos livremente escolhidos pelos pesquisadores, em todas as áreas de conhecimento. As propostas aprovadas foram:

- Estudo do impacto dos Jogos Olímpicos na qualidade do ar na cidade do Rio de Janeiro - professora Adriana Gioda, Química.

- Muller Uso de Covalent Organic Frameworks (COFs) Como Catalisadores Heterogêneos Em síntese Orgânica e Para Aplicações Biomédicas – professora Camilla Djenne Buarque, Química.

- Instabilidade de elementos estruturais pultrudados em polímero reforçado com fibra de vidro (PRFV) submetidos a forças de compressão de longa duração, professor Daniel Carlos Taissum Cardoso, Engenharia Civil.

- Serviço social, trabalho, trabalhadores e ditadura civil-militar no Brasil – professora Inez Terezinha Stampa, Serviço Social.

- Recentes Discursos Antiestadistas no Brasil: Protestos, Ideias e a Genealogia Política da Direita e da Esquerda, professor Jimmy Casas Klausen, Relações Internacionais.

- Desenvolvimento de soluções inovadoras para passarelas e pontes leves com emprego de material compósito em polímeros reforçados com fibra (PRF), professor Julio Jeronimo Holtz Silva Filho, Engenharia Civil.

- Gamificação e cartografias coletivas para cidadania digital em cidades inteligentes, professora Rejane Spitz, Artes e Design.

O julgamento dos projetos foi  realizado pelo corpo de coordenadores de área da Faperj, que procura analisar comparativamente aspectos como mérito técnico-científico, originalidade, adequação do orçamento às metas do projeto e a adesão aos termos desta modalidade de auxílio, além de requisitos obrigatórios como carta de anuência, aprovação do comitê de ética em pesquisa humana e animal e a não acumulação com bolsa dos programas CNE e JCNE.

Na avaliação da proposta, também foram consideradas a qualificação do proponente em relação às atividades previstas para sua execução, a qualidade e regularidade de sua produção científica/tecnológica, divulgada em veículos qualificados, e sua contribuição para formação de recursos humanos nos últimos cinco anos. Não menos importante foi a aplicabilidade e relevância da proposta para o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico, ambiental e social das diferentes regiões fluminenses. Toda avaliação é comparativa com os pares das grandes áreas do conhecimento, com base na opinião de consultores ad hoc, consolidada pelos coordenadores de área da Faperj.

 

Por Renata Ratton

Vice-Reitoria Acadêmica
PUC-Rio

Publicada em: 13/05/2016

 
Imprimir esta página
 
Busca:
Voltar

Powered by Publique!