Prêmios, Projetos e Destaques Acadêmicos

Imagem de uma das entradas da PUC-RIO pela Rua Marquês de São Vicebte
Voltar
 


Seção: Prêmios  

PUC-Rio é única universidade brasileira a conquistar dois ouros e uma prata na VII Competição Olimpíada Ibero-americana Interuniversitária de Matemática (CIMM)


Competição reuniu cerca de 65 instituições do Brasil, México, Costa Rica, Equador, Colômbia e Argentina

 

Até para quem não é bom de conta, não é difícil calcular o percentual de aproveitamento dos cinco estudantes do Departamento de Matemática na Olimpíada Ibero-Americana Interuniversitária: foi de 100%.

 

Todos foram premiados na VII Competição Olimpíada Ibero-americana Interuniversitária de Matemática (CIMM), realizada este mês, em Manaus, em que a PUC-Rio, entre as cinco universidades brasileiras participantes (PUC-Rio, IME, ITA, USP e Universidade do Estado do Amazonas), foi a única a conquistar duas medalhas de ouro e uma de prata.

 

Os alunos Rafael Kazuhiro Miyazaki e Igor Albuquerque Araújo, de 21 e 19 anos, foram agraciados com as medalhas de ouro, a aluna Luize D´Urso, 20, com a de prata, e os alunos David Gonzales Stolnicki, 20, e Daniel de la Riva Massad, 19, com menções honrosas.

 

Rafael Miyazaki acumula cerca de 50 medalhas, incluindo premiações em olimpíadas de Física, Astronomia, Linguística, Informática, Química, entre outras. Nesta Olimpíada Ibero-americana, ele já foi ouro em 2012, prata em 2013 e conquistou novamente o primeiro lugar agora. Concorreu ainda duas vezes na Internacional Mathematical Olympiad (IMO), levando bronze em 2012 e a prata em 2013. Já na International Mathematics Competition for University Students (IMC), realizada anualmente na Bulgária, ficou em segundo lugar em 2014 e em 2015, ganhandoseu primeiro ouro neste ano.

 

Igor Albuquerque Araújo está no sexto período do bacharelado em Matemática e já participou de cerca de 20 olimpíadas de Matemática, Física e Química desde a 5ª série. Igor também competiu na IMC deste ano, em que conquistou uma medalha de prata.

 

– O resultado me deixou com sensação de dever cumprido. Meu objetivo era buscar o ouro, mesmo sabendo que era uma tarefa difícil, então fiquei muito satisfeito. A experiência de viajar para uma olimpíada como essa é sempre fantástica e, dessa vez, tivemos oportunidade de conhecer alguns estudantes da UEA (Universidade do Estado do Amazonas), além de estudantes de outros países como México, Colômbia e Costa Rica. Conhecer esse grupo escasso de pessoas que podem ser nossos futuros colegas de profissão, de cantos diferentes do mundo, é interessante e importante para somar à experiência acadêmica, afirma o medalhista.

 

A medalhista de prata Luize D’Urso encarou sua prata como uma grata surpresa, confessando haver esperado um bronze, de início, pelo fato de a prova não ter sido a fácil. Cursando o quarto período, ela é medalhista desde os 11 anos e heptacampeã da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep).

 

As menções honrosas recebidas pelos alunos David Gonzales Stolnicki e Daniel de la Riva Massad são destinadas aos competidores que mereceram ser citados pelo trabalho realizado.

 

– Fico muito feliz de poder representar a PUC num evento tão importante quanto este.  Gostaria de agradecer ao Departamento de Matemática pela oportunidade e de dizer aos futuros alunos que eles devem participar destas competições.  As olimpíadas são uma excelente oportunidade para conhecer seus futuros colegas de profissão e de extrapolar os seus limites como matemático, sublinha David, aluno do sexto período. 

 

Daniel Massaad, que cursa ainda o primeiro ano, também se sente muito satisfeito com o resultado: “sei que ainda há muito a ser estudado. Por isso buscarei me esforçar mais para ano que vem representar bem a PUC-Rio nesta competição. ”

 

Até para quem não é bom em previsões, as probabilidades são altas.

 

 

Sobre a CIMM:

 

A CIMM é uma competição anual destinada a alunos de graduação de universidades ibero-americanas, reunindo cerca de 65 instituições do Brasil, México, Costa Rica, Equador, Colômbia e Argentina, que competem resolvendo problemas matemáticos em nível superior. Entre os 36 alunos premiados, o Brasil já conquistou 14 medalhas.

 

Fonte: Approach Comunicação

 

 

Por Renata Ratton

Assessoria de Comunicação

Vice-Reitoria Acadêmica

 

Publicada em: 29/09/2016

 
Imprimir esta página
 
Busca:
Voltar

Powered by Publique!