>Pós-Graduação e Pesquisa>

Notícias da Pós-Graduação

Imagem de uma das entradas da PUC-RIO pela Rua Marquês de São Vicebte
 


Seção: Noticias  

INCT de Engenharia de Superfícies, coordenado pelo prof. Fernando Lázaro, da Física, é recomendado para financiamento no edital MCTI/CNPq/CAPES/FAPs

Chamada tem por objetivo apoiar atividades de pesquisa de alto impacto científico

 

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) de Engenharia de Superfícies, coordenado pelo professor Fernando Lázaro Freire Junior, da Física, foi recomendado  para financiamento na chamada INCT - MCT/CNPq/CAPES/FAPs nº 16/2014.

A chamada tem por objetivo apoiar atividades de pesquisa de alto impacto científico em áreas estratégicas e/ou na fronteira do conhecimento, mediante a seleção de propostas para apoio financeiro a projetos voltados à consolidação dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT), que ocupam posição estratégica no Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, e à formação de novas redes de cooperação científica interinstitucional de caráter nacional e internacional.

O Instituto Nacional de Engenharia de Superfícies é dedicado à investigação dos fenômenos que ocorrem nas superfícies dos corpos sólidos e ao desenvolvimento de tecnologias de preparação e modificação das superfícies de peças e componentes para obter propriedades desejadas, tais como dureza, adesão, resistência à corrosão, hidrofobia e biocompatibilidade, entre muitas outras. A Engenharia de Superfícies promove inovações e soluções eficazes em setores tão diversos como o de petróleo e gás, mineração, aeronáutico, automotivo, odontológico e microeletrônico, entre muitos outros.

Além do projeto citado, um grande número de pesquisadores da Universidade integra outros INCTs, em diversas áreas do conhecimento, coordenados por instituições de pesquisa sediadas em todo o país.

 

Sobre o programa:

O Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia tem metas ambiciosas e abrangentes em termos nacionais como possibilidade de mobilizar e agregar, de forma articulada, os melhores grupos de pesquisa em áreas de fronteira da ciência e em áreas estratégicas para o desenvolvimento sustentável do país; impulsionar a pesquisa científica básica e fundamental competitiva internacionalmente; estimular o desenvolvimento de pesquisa científica e tecnológica de ponta associada a aplicações para promover a inovação e o espírito empreendedor, em estreita articulação com empresas inovadoras, nas áreas do Sistema Brasileiro de Tecnologia (Sibratec).

Além de promover o avanço da competência nacional nas devidas áreas de atuação, criando ambientes atraentes e estimulantes para alunos talentosos de diversos níveis, do ensino médio ao pós-graduado, o Programa também se responsabilizará diretamente pela formação de jovens pesquisadores e apoiará a instalação e o funcionamento de laboratórios em instituições de ensino e pesquisa e empresas, proporcionando a melhor distribuição nacional da pesquisa científico-tecnológica, e a qualificação do país em áreas prioritárias para o seu desenvolvimento regional e nacional. Os Institutos Nacionais devem ainda estabelecer programas que contribuam para a melhoria do ensino de ciências e a difusão da ciência para o cidadão comum.

 

Por Renata Ratton

Vice-Reitoria Acadêmica / PUC-Rio

Publicada em: 31/10/2016


Imprimir esta página
 

 

Voltar


Powered by Publique!